cancelar
Mostrando resultados para 
Pesquisar então 
Você quer dizer: 
KellyM
Ex-administrador

Trechos da matéria do Portal UOL, publicada no dia 9 de agosto de 2012.

http://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2012/08/09/saiba-mitos-e-verdades-sobre-cartuchos-rema...

 

 

cartuchos-de-impressao-vazando-1344455853660_300x300.jpg

 

 

 

 

 

 

Ana Ikeda
Do UOL, em São Paulo

 

O sonho de quem tem uma impressora, seja em casa ou no trabalho, é que existisse um cartucho que durasse eternamente. Tão logo surge o aviso na tela de que a tinta acabou, você lembra que a tecnologia ainda não evolui a esse ponto. Então, na ânsia de “economizar”, usuários acabam recorrendo ao uso de cartuchos remanufaturados ou reabastecidos. Mas, como diz a sabedoria popular, “o barato pode sair caro”: impressões podem sair borradas e a tinta vazar na impressora. Já as empresas que remanufaturam cartuchos atribuem a fama ruim a companhias “que agem de má fé” e usam peças que já perderam a vida útil. 

 

Na propaganda dos cartuchos remanufaturados – feitos a partir de cartuchos originais “reciclados industrialmente” e abastecidos com tinta – é comum você encontrar em negrito, grifado e com letras garrafais o aviso de que ele não oferece risco para sua impressora. Mas não é bem assim, alerta Jorge Moreira Ferreira, diretor da DComp, empresa que comercializa e conserta impressoras Epson, Canon, Oki e Roland. “De cada dez impressoras que dão entrada aqui para conserto, duas foram danificadas por uso de cartuchos não originais”, revela.

 

Segundo Ferreira, tanto cartuchos remanufaturados como os reabastecidos (aquele que acaba e o próprio usuário leva a alguma empresa para ter a tinta recarregada) têm a tendência de soltar mais tinta dentro do conjunto mecânico da impressora. O líquido pode acabar pulverizado no interior do equipamento e até mesmo vazar por completo, inutilizando a impressora. “Isso porque eles utilizam engenharia reversa para reutilizar aquele cartucho original, mas ele não foi criado para funcionar dessa maneira”, explica.

 

Se o equipamento estava dentro do prazo de garantia, mas foi danificado pelo uso da peça não recomendada pelo fabricante, a empresa pode não cobrir o conserto alegando "uso inadequado". Além disso, caso ainda seja possível “salvar” a máquina após o vazamento da tinta, Ferreira diz que o consumidor gastaria em média R$ 110 no conserto, quase o preço de uma impressora nova.

 

Qualidade

Sabrina Lacerda, gerente da categoria de impressoras e suprimentos da HP, aponta outro problema: as pessoas tendem a pensar que toda a tecnologia se concentra na máquina, e não no cartucho. “Grande parte da qualidade de uma impressão está no cartucho ou no toner. Eles são desenvolvidos tecnologicamente para trabalhar em conjunto à impressora. Sem levar isso em consideração, o consumidor acaba comprando cartuchos não originais, pensando que não haverá diferença alguma.”

 

Se o que o usuário procura é uma impressão de qualidade, diz Sabrina, é preciso ficar longe dos cartuchos não originais, com maior probabilidade de produzir materiais borrados, que não duram e com aparência pouco “profissional”. Resultado: é preciso imprimir de novo e várias vezes o mesmo trabalho, gastando mais tinta e energia.

 

 

Estudo 
Um estudo feito pela Quality Logic para a HP mostrou que quatro em cada dez cartuchos alternativos apresentaram problemas variados durante o uso, contra nenhuma ocorrência no caso do produto original. No item qualidade de impressão, apenas seis em cada dez materiais impressos tinham qualidade aceitável no caso dos alternativos, contra nove em dez dos cartuchos originais.

 

“Um em cada três cartuchos de tinta ‘alternativos’ falham. No caso de toner para impressora a laser, até 70% apresentam problemas durante sua vida útil”, menciona a representante da HP. “Você não vai querer imprimir um currículo, uma foto ou até proposta para uma empresa nessas condições.”

 

Um fator que estimularia a compra de cartuchos originais, segundo Sabrina, é a queda do seu preço nos últimos tempos – alguns chegam a custar R$ 20, cerca de metade do valor de um produto similar há cinco anos.  “Com a evolução da tecnologia, os preços estão cada vez mais acessíveis. Fora isso, há maior oferta de equipamentos para cada perfil de consumidor.”

 

Por fim, se o consumidor estiver preocupado em reutilizar o cartucho como forma de “agredir menos” o meio ambiente, grande parte das fabricantes de impressoras possui programas próprios de reciclagem da peça. O descarte dos cartuchos usados em geral é feito nos próprios pontos de venda. A HP, por sua vez, mantém um serviço de retirada do produto usado para uma quantidade acima de cinco unidades. 

† As opiniões expressas acima são de responsabilidade exclusiva de seus autores, e não da HP. Utilizar este site significa aceitar os termos de uso e as Regras de Participação